Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ações na Ásia se estabilizam após seis sessões de queda

O euro registrou novo recorde de altanesta sexta-feira frente ao dólar, puxado mais uma vez pelaspreocupações sobre a economia dos Estados Unidos, mas as açõesnos mercados asiáticos ficaram praticamente estáveis numasessão de poucos negócios, depois de seis quedas diáriasconsecutivas. A moeda européia, que se valorizou em 13 por cento nesteano frente ao dólar, testou o importante nível psicológico de1,50 dólar. O movimento manteve o preço do petróleo muitopróximo do valor de 100 dólares por barril, o que, por seulado, ajudou a elevar a cotação do ouro. Os negócios foram poucos e fracos, por conta dos feriadosno Japão e nos Estados Unidos, na véspera. Por volta das 7h50 (horário de Brasília), o índice MSCIsubia 0,37 por cento, para 507 pontos, depois de ter caído nasúltimas seis sessões. "Na última semana, o volume de queda no mercado foi muito,muito expressivo... portanto, se as pessoas se ajeitarem, issoresultará em uma alta nos mercados. Eu acho que tem um poucodisso hoje", afirmou Tim Rocks, estrategista de ativos para aregião da Macquarie Securities. O índice MSCI desvalorizou 14 por cento desde 1o denovembro até agora, mas ainda assim acumula alta de 27 porcento no ano. Entre os mercados acionários asiáticos, a bolsa de HongKong fechou em alta de 2,06 por cento, para 26.541 pontos,enquanto que o índice Straits Times da bolsa de Cingapura teveuma discreta alta de 0,39 por cento. Na Austrália, o mercado teve uma leve queda de 0,06 porcento, para 6.330 pontos. Na Coréia do Sul, a bolsa de Seul nãoconseguiu sustentar o movimento de alta registrado no início dasessão, encerrando em queda de 1,45 por cento, para 1.772pontos. A bolsa de Tóquio ficou fechada por conta do feriado noJapão.

IAN CHUA, REUTERS

23 de novembro de 2007 | 08h17

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.