Ações Petrobrás: perspectivas para o futuro

Os investidores que aplicaram em fundos de ações ordinárias da Petrobrás devem estar satisfeitos com os resultados já obtidos e ainda podem esperar um ganho maior. Segundo a Associação Nacional de Bancos de Investimento (Anbid), os fundos com recursos do FGTS rendem, em média, 56,28%, e os fundos com recursos próprios, 57,59%. Mesmo tendo iniciado sua valorização em agosto, esta é a aplicação com maior rentabilidade do ano, superando muito os fundos cambiais - na segunda colocação, com cerca de 15%. Grande parte da valorização deve-se ao desconto de 20% dado na compra das ações, vendidas a R$ 34,46 para quem mantiver o investimento por um ano.A partir de fevereiro, depois de seis meses do início da aplicação, os investidores poderão optar por sair da aplicação e investir em fundos de carteira livre oferecidos pelos administradores aos investidores dos fundos Petrobrás. Porém, eles vão contabilizar um desconto de apenas 10% do momento de compra das ações, diminuindo a rentabilidade já auferida.Para Armando Bruck, gerente de Investimentos da Sul América, se as perspectivas para a ação não forem significativamente favoráveis o investidor deverá optar por transferir os recursos para um fundo de carteira livre, onde encontrará maior segurança para o capital. Porém, alguns analistas de investimentos ainda prevêem um futuro rentável para quem mantiver a aplicação. Segundo Gilberto Cataldo, da Sudameris Corretora , a ação poderá valorizar muito no próximo ano, chegando a valer R$ 76,00, o que significaria um rendimento de cerca de 120% para quem investiu nos fundos.Nesta semana, a rentabilidade dos fundos apresentou um ligeiro recuo causado pela apreensão do mercado em relação à Argentina, o que gerou uma pressão em todas as ações. A ação fechou cotada na sexta-feira a R$ 53,70, com queda de 0,56%, que deve ser refletida no rendimento dos fundos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.