Ações recuperam-se com esperança de estímulo dos EUA

As bolsas de valores asiáticas subiram na quinta-feira com a busca por ações baratas, à medida que cresceram as esperanças por mais estímulo dos EUA para apoiar o crescimento e novas medidas europeias para conter o peso da dívida da zona do euro, mas o sentimento permaneceu frágil.

Reuters

26 de julho de 2012 | 07h47

Às 7h40 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico, com exceção do Japão, que caiu nas últimas quatro sessões, subia 0,6 por cento com 401 pontos. O índice atingiu a mínima em um mês com 399,44 na quarta-feira.

As preocupações com a crise do bloco do euro foram de alguma forma aliviadas com os comentários da autoridade do Banco Central Ewald Nowotny, que disse haver argumentos para dar ao fundo de resgate permanente da Europa uma licença bancária - ideia que o Banco Central Europeu (BCE) havia rejeitado até agora. Uma licença bancária elevaria o poder de fogo do fundo ao permitir o seu acesso ao financiamento barato do BCE.

Os custos dos empréstimos da Espanha, que tem cada vez mais regiões endividadas e um setor bancário que luta para se livrar dos empréstimos ruins, recuaram um pouco na quarta-feira enquanto os rendimentos do Tesouro norte-americano, considerados porto-seguro, também subiram após mínimas históricas.

"O leve recuo nos custos dos empréstimos da zona do euro deu algum alívio, dando aos investidores um ímpeto para caçar ações desvalorizadas, uma vez que as ações asiáticas foram vendidas em excesso em termos de valores", disse o estrategista sênior da Daiwa Securities, Hirokazu Yuiham.

"A cautela irá prevalecer à medida que a situação europeia se acalmar e setores defensivos como telecomunicações e bens de consumo tiverem um melhor desempenho que setores sensíveis ao crescimento", afirmou.

O dólar manteve-se estável contra o yen acima de 78 yen.

A bolsa de Cingapura subiu 0,46 por cento, a 3.004 pontos, enquanto Taiwan caiu 0,12 por cento e Hong Kong teve variação positiva de 0,08 por cento. O índice referencial de Xangai recuou 0,47 por cento e Sydney teve crescimento de 0,58 por cento.

(Reportagem de Chikako Mogi; Reportagem adicional de Joonhee Yu, em Seul, e Masayuki Kitano em Cingapura)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.