Ações sobem no dia, mas caem 45% em 2008

As ações européias fecharam em alta nesta quarta-feira, em sessão de poucos negócios devido ao feriado de Ano Novo, mas consolidaram em 2008 sua maior queda anual já registrada, à medida que os mercados foram golpeados pela pior crise de crédito desde a Grande Depressão dos anos 1930. De acordo com dados preliminares, o índice FTSEurofirst 300 avançou 0,9 por cento na última sessão do ano, mas acumulou queda de 45 por cento em 2008, após valorização de 1,6 por cento no ano anterior e de 16 por cento em 2006. O índice britânico FTSE 100 registrou sua maior queda anual desde sua criação em 1984, enquanto o indicador CAC-40 da bolsa de Paris acumulou baixa de 43 por cento, a maior já registrada em seus 20 anos de história. O índice DAX da bolsa de Frankfurt caiu 40,4 por cento em 2008. O índice DJ Stoxx de matérias-primas, que abrange as maiores mineradoras européias, foi o mais golpeado em 2008, cedendo 64,9 por cento, acompanhado de perto pelo índice DJ Stoxx de bancos, que recuou 64,8 por cento. A melhor performance setorial foi do índice DJ Stoxx de companhias ligadas à saúde, que caiu 18,8 por cento em 2008. Os bancos, que tiveram um ano desastroso, com muitos procurando pacotes de ajuda governamentais, foram os que mais contribuíram com os ganhos do índice FTSEurofirst nesta quarta-feira. As ações do Barclays subiram 3 por cento, as do Standard Chartered avançaram 4,9 por cento e as do Royal Bank of Scotland tiveram ganhos de 2,5 por cento. Os papéis de farmacêuticas, tidos como defensivos, também subiram. Os ativos da GlaxoSmithKline subiram 2 por cento, enquanto os da AstraZeneca avançaram 2,2 por cento, levando seus ganhos acumulados no ano para cerca de 30 por cento, em uma das melhores performances de 2008. Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 0,94 por cento, a 4.434 pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 teve variação positiva de 0,03 por cento, para 3.217 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 teve queda de 0,26 por cento, para 6.341 pontos. (Reportagem de Atul Prakash)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.