Ações têm mínima em 6 semanas com temor de contágio

As bolsas de valores da Europa encerraram a quinta-feira no menor patamar em seis semanas, em meio a preocupações de que a crise de dívida da região saia de controle, depois de Espanha e França pagarem altos rendimentos nos leilões de seus bônus.

REUTERS

17 de novembro de 2011 | 16h54

O índice de ações da região fechou em queda de 1,34 por cento, a 957 pontos.

França e Espanha viram seus custos de financiamento subir nos leilões de dívida nesta manhã, refletindo as crescentes incertezas sobre as finanças públicas dos países e a insatisfação com a resposta das autoridades à crise.

"O mercado ainda está preocupado sobre a implementação de todas as medidas (de austeridade e contra a crise), que não são detalhadas o suficiente para ser críveis", disse o estrategista do JPMorgan-Cazenove, Emmanuel Cau.

O setor bancário foi o mais abatido, com quedas acima de 2 por cento.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,56 por cento, a 5.423 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 1,07 por cento, para 5.850 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 declinou 1,78 por cento, para 3.010 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib encerrou em baixa de 1,43 por cento, a 15.198 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou desvalorização de 0,4 por cento, para 8.270 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve queda de 0,81 por cento, para 5.440 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.