Acordo aumentará participação dos EUA no Citigroup

O governo norte-americano vai deter até 36 por cento das ações ordinárias do Citigroup após um acordo para reforçar a base de capital do banco. O acordo também envolve a troca da maior parte do conselho de administração da instituição. O Tesouro dos Estados Unidos concordou em converter em ordinárias até 25 bilhões de dólares em ações preferenciais que possui do banco, na mesma proporção da troca a ser feita por outros investidores privados. É o terceiro grande pacote de ajuda ao Citi desde meados de outubro. A operação, que não aumentará o investimento do governo no banco, abateu as ações do Citigroup, que passaram a operar em forte queda antes da abertura dos mercados. O Citigroup informou que a conversão total dará ao governo cerca de 36 por cento de suas ações ordinárias. Grandes investidores, incluindo a Corporação de Investimento do Governo de Cingapura concordaram em participar da troca, informou o banco. O banco oferecerá trocar ações ordinárias por até 27,5 bilhões de dólares de suas ações preferenciais, a um preço de conversão de 3,25 dólares por ação. O Citi disse que suspenderá os pagamentos de dividendos de ações ordinárias e preferenciais. O conselho da instituição decidiu por unanimidade pela reformulação do grupo que vai fazer com que a maior parte dos diretores independentes deixe o posto. O banco espera que os novos nomes sejam indicados assim que possível. O presidente-executivo do citi, Vikram Pandit, informou que o novo capital "deve tirar da mesa o problema da confiança mesmo em um ambiente de estresse". O executivo afirmou que a reação interna ao anúncio foi "muito positiva".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.