Acordo Brasil-EUA continua base para Alca, diz Amorim

Após ter se reunido com o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Zoellick, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que ficou com expectativa positiva em relação ao resultado final da reunião ministerial da Alca em Miami. "As coisas estão caminhando no sentido positivo e o texto acertado em Lansdowne entre os EUA e o Brasil na semana retrasada continua sendo a base para declaração ministerial em Miami", afirmou.Segundo ele, na conversa com Zoellick, ficou uma perfeita compreensão daquilo que é possível se obter na reunião de Miami. "E o possível não é necessariamente pouco porque dá mandato para a continuidade das negociações", disse. Na opinião do ministro brasileiro, conseguiu-se evitar um impasse que estava se delineando.O texto estabelece uma base comum mínima para todas as áreas de negociação e abre a possibilidade de que os países aprofundem esses temas em acordos plurilaterais. "O mínimo é muita coisa. O Brasil nunca teve um acordo de livre comércio com um parceiro comercial que inclua uma parcela tão grande de comércio, como poderá ser o acordo com os EUA. Nos aspectos que despertem mais sensibilidade de um ou outro país haverá possibilidade de acordos plurilaterais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.