Acordo com FMI será por segurança, afirma Dulci

O ministro da Secretaria Geral da Presidência, Luiz Soares Dulci, disse hoje que o País poderá fazer novo acordo com o FMI por questão de segurança. "É possível mesmo que façamos o acordo para dar segurança e criar alicerces para a estabilidade econômica", afirmou, em palestra em Belo Horizonte.Ele afirmou que, se levado em conta o controle inflacionário e o atual patamar do risco-país, em 600 pontos, o Brasil não necessitaria de um novo empréstimo do Fundo. Mas, "por garantia", o governo poderá optar por mais um acordo. O ministro disse que o risco-país poderia estar em 300 pontos, já que a estabilidade econômica "está recuperada e o País já tem condições de crescer". A retomada ainda não se verificou na criação de empregos, admitiu Dulci, mas "pelo menos, as empresas já pararam de demitir".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.