Tiago Queiroz/Estadão - 20/3/2020
Tiago Queiroz/Estadão - 20/3/2020

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Acordo entre Caixa e CNI reduz em até 28% taxas de juros de empréstimos a micro e pequenas fábricas

A partir desta terça, 25, além da consultoria sobre o melhor tipo de linha de crédito, os empresários serão enquadrados automaticamente pela Caixa no perfil 'diamante', que garante melhores condições para os tomadores de empréstimos

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2020 | 09h00

BRASÍLIA - As micro e pequenas fábricas que passarem pela orientação financeira da Confederação Nacional da Indústria (CNI) passarão a contar com juros mais baixos e prazos mais longos em linhas de crédito da Caixa Econômica Federal. Um acordo firmado entre o banco e a entidade reduzirá em até 28% a taxa nos financiamentos para essas empresas.

A demanda por orientações nos 22 Núcleos de Acesso ao Crédito (NACs) coordenados pela CNI disparou durante a pandemia de covid-19, quando os financiamentos no sistema financeiro ficaram mais restritos e o governo precisou lançar diversas medidas para destravar os empréstimos ao setor produtivo.

A partir desta terça-feira, 25, além da consultoria sobre o melhor tipo de linha de crédito para cada empresa, os empresários que passarem pelos NACs também serão enquadrados automaticamente pela Caixa no perfil “diamante” do banco, que garante melhores condições para os tomadores de empréstimos. Nas modalidades de capital de giro e compras de equipamentos e produtos, os juros chegam a ser 28% menores os prazos das operações vão até 60 meses (cinco anos).

“Desde antes da crise já vínhamos conversando com alguns parceiros sobre essa possibilidade. Os bancos enxergam valor nessa relação dos NACs com as empresas. O gerente do banco vai receber uma empresa muito mais qualificada. O empresário já chega ao banco conhecendo as linhas e com a documentação organizada. Isso reduz o custo do banco”, destaca o gerente executivo de Política Industrial da CNI, João Emilio Gonçalves.

Na linha de capital de giro pós-fixada para empresas com faturamento anual superior a R$ 360 mil, os juros partem de 0,83% ao mês mais TR (hoje em zero), com prazo de 60 meses e carência automática de três meses. No capital de giro prefixado para micro e pequenas empresas, os juros começam em 1,19% ao mês, com 48 meses de prazo e também três meses de carência.

Já a linha de crédito para compra de bens de consumo duráveis (BDC) tem uma taxa pós-fixada, a partir de 0,92% ao mês e prazo de 60 meses, com carência maior, de até seis meses. Além disso, os empresários que levarem seus recebíveis de cartão para a Caixa terão isenção na primeira anuidade do Cartão Empresarial e desconto de 50% na adesão a cestas de serviços do banco.

“Quem já passou pelo NAC e obteve um financiamento também poderá renegociar o contrato com a Caixa. Com isso, conseguimos ter padronização das condições de crédito em todo o País. Temos reuniões permanentes, para acompanhar quais são as condições ofertadas em cada Estado e, graças à parceria com a Caixa, conseguimos reduzir a assimetria que havia até uma determinada informação sobre novas condições chegar a cada agência”, completa Gonçalves.

A CNI e a Caixa já testaram a integração em uma fase piloto com 21 operações com recursos do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), totalizando R$ 5 milhões em crédito.

“Essas condições especiais são um legado que ficará para além da pandemia e a ideia é não ficar restrito a apenas um banco. Os NACs sempre fornecem informações sobre as condições de todas as instituições. Sempre vamos direcionar o empresário para banco que oferecer melhores condições”, acrescenta Gonçalves. “Também temos uma agenda muito forte de educação financeira, com elementos para que as empresas se planejem e consigam manter os pagamentos”, conclui.

Com o início do acordo com a Caixa, a CNI lançou uma nova plataforma para o acesso aos NACs (https://nac.cni.com.br/), onde os empresários podem preencher um formulário com as suas demandas de crédito. O sistema direciona para o atendimento pelo núcleo mais próximo da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.