REUTERS/Chris Wattie
REUTERS/Chris Wattie

Acordo entre EUA e México pode não ser bom para o Canadá

EUA e México anunciaram nesta segunda-feira, 27, que chegaram a um acordo para substituir o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta); Trump ameaça tarfiar carros do Canadá caso não haja acordo

Victor Rezende, O Estado de S.Paulo

27 Agosto 2018 | 14h04

As negociações comerciais no âmbito do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) podem não ser muito boas para o Canadá, após Estados Unidos e México chegarem a um acordo comercial bilateral, que foi alcançado em meio ao impasse no processo de renegociação do Nafta.

"Isso reforça a nossa visão de que o Canadá será presenteado com uma oferta do tipo 'pegar ou largar', com a ameaça agora não tão sutil de que os EUA estejam preparados para deixar o Canadá de fora e trabalhar em uma base bilateral com o México", afirmou o economista Avery Shenfeld, do banco de investimentos Canadian Imperial Bank of Commerce (CIBC).

Em relatório enviado a clientes, Shenfeld comentou que, apesar das ameaças vindas do lado americano, "os mexicanos estão sinalizando seu interesse em permanecer com um pacto trilateral envolvendo o Canadá". Nesse sentido, o CIBC acredita que Ottawa e Washington vão chegar à mesa de negociações e fazer um acordo, embora o banco aponte que, com os EUA dizendo que podem deixar o Canadá de fora, eles ameaçam "tomar uma linha dura nessas conversas", o que pode ser reforçado à medida que os detalhes do acordo EUA-México são divulgados e elevam o requisito de conteúdo americano para veículos.

Para Shenfeld, todo esse cenário continua incerto para o Canadá e, caso essas preocupações não sejam retiradas logo da frente, "o Banco do Canadá (BoC, na sigla em inglês) pode manter a taxa básica de juros inalterada em setembro", o que não seria uma boa notícia para o dólar canadense.

Trump ameaça tarifar veículos canadenses

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que iniciará as negociações comerciais com o Canadá imediatamente e que chamará o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, "muito em breve", acrescentando que caso um acordo não seja alcançado, "colocaremos tarifas sobre carros" importados deste país./COM NIVIANE MAGALHÃES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.