Acordo entre Telecom Italia e Brasil Telecom está ameaçado

Os planos da Telecom Italia de deter o controle majoritário da Brasil Telecom estão ameaçados pelos acordos firmados entre os sócios da operadora nos últimos meses. Isso porque o preço foi muito inflado e pode tornar o negócio inviável economicamente. Fontes revelam que os fundos de pensão e o Citibank não abrem mão de obter um ágio semelhante ao que foi oferecido ao Opportunity pelo grupo italiano. A situação piorou ainda mais agora que veio à tona um novo acordo. Em março, os fundos se comprometeram a pagar R$ 1,3 bilhão pela participação do Citibank na Brasil Telecom e na Telemar. O acordo foi estruturado por meio de uma operação conhecida no mercado financeiro como "put". Esse mecanismo dá direito aos fundos de comprar as ações do banco americano por esse valor em um prazo máximo de três anos. "A questão ficou mais complicada. Esse é um preço bem caro. Faz todo o sentido a Telecom Italia comprar a BrT para obter sinergias com a TIM, que ela ainda não tem. Mas, nesse nível de preço não dará retorno. Isto seria bem acima do que a BrT vale, mesmo com as sinergias com a TIM", avaliou o analista Eduardo Roche, da Ágora Corretora. A situação promete esquentar. Nos últimos dias, cresceu os rumores de que as negociações entre os fundos e Citibank para a venda de suas ações para a Telecom Italia entraram na reta final.

Agencia Estado,

27 Maio 2005 | 18h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.