Acordo na OMC é avanço ?modesto e tardio?, diz Financial Times

O acordo da Organização Mundial do Comércio (OMC) que define as bases para a liberalização do comércio internacional fechado em Genebra durante o fim de semana "é um modesto e tardio avanço na longa marcha em direção à liberalização dos mercados globais", de acordo com editorial publicado nesta segunda-feira pelo jornal britânico Financial Times. O diário diz que o maior feito conquistado em Genebra foi o compromisso da União Européia de reduzir seus subsídios agrícolas. "Outros aspectos do acordo, como os planos de cortes de tarifas agrícolas e liberalização do comércio de mercadorias e serviços industriais, são mais decepcionantes", afirma o editorial.O Financial Times avalia ainda que o novo acordo "é importante como um mais do que necessário voto de confiança internacional na OMC e nas regras baseadas no sistema multilateral".O jornal também afirma que o crédito pelo relativo sucesso das negociações em Genebra pode ser dividido amplamente. "Os Estados Unidos mostraram verdadeira liderança antes e durante as negociações", diz o diário. "A União Européia permaneceu firme contra o obstrucionismo francês.""O grupo de 20 países em desenvolvimento e exportadores agrícolas fortaleceu sua reclamação de ser uma força influente e positiva", acrescenta o editorial.Além disso, diz o Financial Times, as nações mais pobres da África e de outras partes do mundo exibiram pela primeira vez um entendimento sobre como é o "jogo na OMC", evitando uma "postura política vazia" e participando de "negociações duras, realísticas e produtivas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.