Acordo que reduziu IPI sobre carro não deve ser renovado

Se depender da Receita Federal, não será renovado o acordo emergencial que reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado sobre os automóveis. "Se depender de nós é o prazo do decreto e pronto", disse hoje o secretário-adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro. O acordo de três meses termina no próximo dia 30 de novembro. O secretário lembrou que o acordo foi feito numa situação de emergência para desafogar os pátios das montadoras. "E se espera que tenha alcançado esse objetivo", ressaltou Pinheiro, lembrando que o mercado de automóveis tem dado sinais claros de recuperação. O secretário informou que levantamento feito pela Receita mostra que todas as montadoras cumpriram as regras do acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.