Acordos semelhantes devem vir nos EUA após compra da Countrywide

O acordo de 4 bilhões de dólaresentre Bank of America e Countrywide, anunciado nestasexta-feira, deve ser o primeiro de diversos acertos similaresnos Estados Unidos. Com a crise hipotecária e de crédito cobrando seu preço, aespeculação sobre fusões agora está centrada em outrasinstituições como Washington Mutual, First Horizon National,National City e KeyCorp. Todas sofreram com problemas relacionados a hipotecas ou aosetor imobiliário, e as ações das quatro subiram nestasexta-feira com a compra da Countrywide. Analistas também falaram sobre a possibilidade de que oBear Stearns estar envolvido em uma grande transação, apesar deum comunicado emitido na terça-feira por seu novopresidente-executivo, Alan Schwartz, dizendo que ser alvo decompras não é uma estratégia da instituição. O Bear Stearns amargou 1,9 bilhão de dólares em baixascontábeis no trimestre encerrado em 30 de novembro. As perdasrefletiram o menor valor dos ativos atrelados a hipotecas dealto risco (subprime) nas mãos do banco de investimento. "As transações acontecem quando o momento é bom e os preçossão atrativos, e acontecem quanto o momento é muito ruim e vocêtem vendedores forçados", disse Sean Egan, diretor-gerente daagência de classificação de risco Egan-Jones Ratings.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.