Acrefi lançou hoje cadastro de bons pagadores

A Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) lançou hoje pela manhã um cadastro positivo de clientes de bancos e financeiras. Chamado de Acrefi Positivo, o produto é uma parceria com a Serasa - Centralização dos Serviços dos Bancos. O cadastro tem por objetivo aperfeiçoar a análise de concessão de crédito nas instituições financeiras, identificando o histórico dos clientes que pagam sua contas em dia.O presidente da Acrefi, Ricardo Malcon, destaca que, através do histórico dos clientes bons pagadores, os bancos e financeiras terão uma ferramenta para diminuir o nível de inadimplência nas suas carteiras de crédito. "Os bons pagadores poderão negociar uma redução nas taxas de juros do crédito pessoal. Já as financeiras, vão utilizar o produto para abaixar o nível de inadimplência e correr menos risco de levar calote", afirma.Para Ricardo Malcon, o Acrefi Positivo poderá aumentar o número de concessões de crédito para os clientes que pagam suas contas em dia. "O cliente que tem um bom histórico vai poder negociar taxas de juros menores do que os clientes que estão com restrições de crédito. Atualmente, o bom pagador paga juros altos, devido ao alto índice de inadimplência", avalia o presidente da Acrefi. As informações do produto referem-se à pontualidade nos pagamentos e histórico de endividamento dos clientes.A estimativa da Acrefi é de que 65% dos bancos que realizam operações de crédito direto ao consumidor vão utilizar o produto para analisar o perfil de seus clientes. O produto será constituído por um banco de dados formado pela Acrefi com base em informações repassadas pelas instituições que aderirem ao produto. A Serasa será responsável pela parte operacional do Acrefi Positivo. Queda de inadimplênciaO diretor de crédito e risco da Acrefi, Leonardo Benvenuto, acredita que esta nova cultura de observar o histórico de crédito pelo lado positivo pode ampliar as carteiras de crédito e ao mesmo tempo reduzir a inadimplência. "O cadastro positivo fornece as informações sobre o histórico e a capacidade financeira dos bons pagadores. Este produto vai incentivar os clientes a negociar créditos com taxas de juros menores, com um risco de inadimplência menor", explica.Juros devem cairAtualmente, os bancos já utilizam taxas de juros diferenciadas para determinados perfis de clientes. Segundo Benvenuto, os dados do Acrefi Positivo possibilitam ao banco conceder juros mais acessíveis mesmo que o crédito seja concedido a um consumidor que não seja cliente da instituição. Ele acredita que os juros do crédito pessoal devem baixar pela metade. A taxa média atual deste tipo de operação é de 6% ao mês.Porém, o diretor da Acrefi destaca que cada banco ou financeira vai reduzir seus juros conforme seus produtos. "A redução deve acontecer, mas as porcentagens vão depender da instituição. Cada banco ou financeira deve definir como utilizar as informações do cadastro para influenciar nas suas taxas de juros", afirma. Benvenuto ressalta que os bancos e financeiras só vão enviar os dados dos clientes que autorizarem por escrito a inclusão no cadastro. "Ao abrir um novo contrato de crédito o cliente vai receber um documento por escrito para adesão ao Acrefi Positivo", avisa o diretor da Acrefi. Ele acredita que, a partir de setembro, o produto já vai estar dando um retorno ao consumidor. "Bancos e financeiras já estarão negociando juros mais baixos para bons pagadores, a partir do segundo semestre deste ano", avalia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.