ACSP afirma que alíquota do compulsório continua elevada

O presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Guilherme Afif Domingos, avaliou que os depósitos compulsórios à vista- parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central - continuam elevados, embora o Banco Central (BC) tenha promovido hoje a redução de 60% para 45%. Mesmo considerando a iniciativa positiva, ele lembrou que trata-se apenas do início do processo de redução dos compulsórios e cobrou uma queda mais acelerada da taxa básica de juros (Selic), atualmente em 24,5% ao ano. "A medida do BC só surtirá efeito se o sistema financeiro direcionar os recursos liberados para a atividade produtiva", ressalvou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.