ACSP aponta queda nas vendas no varejo em maio

O movimento do varejo na capital apresentou queda no mês de maio na comparação com mesmo período do ano passado, de acordo com os indicadores do Instituto de Economia "Gastão Vidigal", (IEGV) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Segundo o presidente da entidade, Guilherme Afif Domingos, considerando o cenário atual de juros altos, a queda na renda real e o aumento do desemprego, o resultado negativo ficou dentro das expectativas.De acordo com os dados do (IEGV) da entidade, as consultas ao SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) registraram queda de 5,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. O serviço Usecheque apurou queda de 4,1% no número de consultas. "Com esse resultado, o primeiro semestre já pode ser considerado perdido para o varejo", disse Afif. Segundo ele, a recuperação do segundo semestre vai depender de uma sinalização de queda na taxa de juros ou nos recolhimentos compulsórios dos bancos ? parcela dos depósitos à vista e a prazo que os bancos devem recolher ao BC.Os indicadores mostraram que número de registros recebidos pelo SCPC apresentou declínio de 5,1%, que é semelhante ao verificado na queda das vendas a prazo, o que mostra que a inadimplência ficou estável em relação ao mesmo período do ano passado. Por outro lado, o número de cancelamentos cresceu 15,9% em relação a maio de 2002, indicando que o consumidor, além de cauteloso em assumir novos compromissos, também está empenhado em quitar os débitos já assumidos.Para o Dia dos Namorados, o presidente da ACSP espera um movimento ao menos próximo ao verificado no ano passado, por conta do esforço promocional dos lojistas e da própria data, que é considerada a terceira melhor para o comércio depois do Natal e Dia das Mães.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.