ACSP atribui a cautela decisão de manter juros

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atribuiu a uma cautela em face das incertezas do cenário externo a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de manter inalterada a taxa Selic. "Não se pode ignorar, contudo, que a taxa de juros no Brasil continua extremamente elevada, sendo, no momento, a maior do mundo em termos reais, o que não parece se justificar, tendo em vista os fundamentos da economia brasileira", afirmou a ACSP em nota divulgada na noite de hoje.A associação argumenta que, com a redução das taxas de juros no exterior, aumentou o diferencial em favor do ingresso de capitais estrangeiros de curto prazo, o que pressiona a taxa cambial e afeta, negativamente, muitos setores. "Esperamos que o Banco Central retome o mais rapidamente possível o processo de redução dos juros, para incentivar os investimentos e o crescimento. Para tanto, é preciso que o governo administre a política fiscal no sentido da contração dos gastos públicos, para abrir espaço ao crescimento não inflacionário do consumo privado", conclui o presidente da entidade, Alencar Burti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.