ACSP: BC quer mostrar disposição de agir

O presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato, avaliou nesta quarta-feira, em nota, que a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de elevar para 8,0% ao ano a taxa Selic, com aumento de meio ponto porcentual, sinaliza a intenção da autoridade monetária de mostrar ao mercado a disposição de agir para conter a inflação, "apesar do crescimento da atividade econômica durante o primeiro trimestre ter ficado bem abaixo das expectativas, sinalizando fraca recuperação para o resto do ano".

CARLA ARAÚJO, Agencia Estado

29 de maio de 2013 | 21h52

"Será importante conhecer a ata da reunião, que deverá apresentar sinalizações mais claras sobre o movimento futuro da taxa de juros", diz Amato. Na avaliação da ACSP, outro fator que pode ter influenciado a elevação da Selic é a recente tendência de aumento da taxa de câmbio, "que ao encarecer a importação de componentes, insumos e máquinas, aumenta os custos de produção de alguns setores, contribuindo para a elevação dos preços".

Tudo o que sabemos sobre:
BCCopomACSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.