finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

ACSP: inadimplência é maior entre os homens

Comprar e não efetuar os pagamentos é uma prática que vem crescendo no País. O desemprego, em larga escala, é um dos fatores apontados como principal causa pela falta de pagamentos no mercado. Entre as pessoas que deixam de pagar suas contas, a maioria, segundo a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), é do sexo masculino. Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Economia Gastão Vidigal, da ACSP, durante o mês de março deste ano, com 1134 pessoas, revela que o perfil do inadimplente junto ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), é composto em 77% por homens. Do total de homens, 78% têm idade entre 21 e 40 anos, 64% possuem renda na faixa de R$ 500,00 a R$ 2 mil, 72% possuem um carnê em atraso, 44% fizeram débito junto ao comércio e 13% realizaram compras de roupas, calçados e móveis. Das compras, 11% foram de eletrodomésticos e a preferência pela forma de pagamento foram os financiamentos em até 12 meses, com prestações de até R$ 100,00, representando 92% do total.Segundo Alencar Burti, presidente da ACSP, a principal causa da inadimplência dentre as pessoas pesquisadas ainda continua sendo o desemprego, embora com menor participação (39%) do que foi apontado na pesquisa realizada em setembro de 2000 (53%). Outro dado observado na pesquisa refere-se à figura do fiador ou avalista, que representou 30% das respostas. Em setembro de 2000 esse índice era de 1%. "Ter emprestado o nome" aparece a seguir com 20% das respostas, contra 17% referente a setembro do ano passado, revelando o risco de assumir débitos de terceiros.Veja no link abaixo matérias sobre o a pesquisa da Serasa sobre o crescimento da inadimplência e orientações para o consumidor que deseja regularizar a sua situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.