ACSP pede inquérito contra uso de sigla para aplicar golpes

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) pediu, nesta quinta-feira, a abertura de inquérito policial para apurar a atuação de supostas associações que utilizam siglas semelhantes à dela para receber mensalidades de comerciantes paulistas.Uma destas organizações, que se intitula Associação Comercial do Estado de São Paulo (Acesp), tem enviado boletos bancários com cobranças de mensalidades para associados da ACSP. "Eles se aproveitam da semelhança do nome e da forma de pagamento utilizada pela ACSP para ludibriar o associado", afirma o advogado Luiz Flávio Borges D´Urso, contratado pela associação para acompanhar o caso. De acordo com o advogado, o comerciante só descobre que foi ludibriado quando recebe o boleto da ACSP. D´Urso afirma que a associação decidiu pedir a abertura de inquérito policial devido à grande quantidade de reclamações e denúncias que tem recebido de seus associados. "Várias siglas têm se utilizado deste expediente em São Paulo", diz ele."Isso caracteriza estelionato, e a associação será implacável no sentido de coibir essa iniciativa criminosa." De acordo com D´Urso, o responsável pela Acesp figura como "presidente" de inúmeras outras entidades. "Isso mostra a clara intenção de ludibriar grande número de pessoas, já que a associação não presta qualquer tipo de serviço", acusa o advogado.Em fevereiro, a ACSP formalizou representação contra estas siglas no Ministério Público e, nesta quinta-feira, deu entrada no pedido de abertura de inquérito policial na 1ª Delegacia Seccional de Polícia, no centro de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.