Açúcar cai em NY com vendas da Índia

A notícia de que o governo da Índia permitiu a exportação de mais 500 mil toneladas de açúcar pressionou a cotação do produto na Bolsa de Nova York. O contrato outubro recuou 0,31%, para 26 centavos de dólar por libra-peso. A expectativa de aumento da produção e dos estoques mundiais na safra 2011/12 tem mantido o mercado sob pressão. Na sexta-feira, mais uma instituição previu excedente maior que 5 milhões de toneladas ao final do período. O banco ABN Amro estimou superávit de 7,83 milhões de t, a partir de uma produção global de 169,3 milhões de t, para um consumo de 161,47 milhões de t.

Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2011 | 00h00

Em maio, o banco de investimentos Macquarie estimou superávit de 6,5 milhões de t e a trading britânica Czarnikow previu 10,3 milhões de t. A consultoria Kingsman vê superávit de 10,57 milhões de t para o período.

Nesse contexto, os participantes do mercado seguem atentos às informações sobre a safra do Centro-Sul do Brasil. As cotações do açúcar atingiram máximas de três meses na semana passada diante da percepção de que a produção da região será menor em 2011/12 por causa de problemas climáticos que prejudicaram os canaviais.

Em Chicago, o preço do milho caiu por causa das previsão de tempo favorável ao desenvolvimento da safra nos Estados Unidos. O contrato dezembro recuou 2,2%, para US$ 6,32 por bushel. Na semana, a cotação recuou 4%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.