Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Açúcar reverte perdas e fecha em alta em NY

Cenário: Ana Conceição

O Estado de S.Paulo

30 de dezembro de 2011 | 03h06

Os preços do açúcar fecharam com alta na Bolsa de Nova York, ontem, revertendo as perdas do dia anterior. O mercado registrou um volume de negócios muito pequeno, o que intensificou quaisquer movimentos, de alta ou de baixa. O contrato março subiu 1,64%, para 23,51 centavos de dólar por libra-peso. Analistas acreditam que a valorização da commodity pode ser revertida nos próximos dias. Michael McDougall, vice-presidente sênior da corretora Newedge, disse à agência Dow Jones que a crise da zona do euro pode reverberar no Brasil, maior produtor mundial de açúcar. Para ele, a reversão do fluxo de investimentos dos emergentes para outros países considerados portos seguros fragilizaria o real. Assim, "continuaria a ser atrativo fazer açúcar para exportação em vez de etanol para o mercado interno", afirmou. E mais açúcar no mercado internacional pode implicar preços mais baixos na bolsa.

Em Chicago, as cotações dos grãos registram queda, pressionados pela valorização do dólar ante outras moedas e pelo clima menos ameaçador na América do Sul, onde as lavouras da nova safra se desenvolvem. As previsões são de mais chuvas no Sul do Brasil e na Argentina neste fim de semana, o que deve aliviar o estresse hídrico provocado pelas altas temperaturas da semana passada. O calor em ambas as regiões provocou oito altas consecutivas nos futuros de milho em Chicago. Ontem, o preço do grão recuou 0,70%, a US$ 6,38 por bushel. A soja, cuja colheita se aproxima no Brasil, caiu 0,91%, a US$ 11,97.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.