Adauto quer mais investimento em infra-estrutura

O ministro dos Transportes, Anderson Adauto, disse que vai fazer um "apelo" ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o novo acordo do Brasil com o Fundo Monetário Internacional (FMI) libere do cálculo do superávit primário os investimentos em infra-estrutura, a exemplo do que foi negociado para o saneamento. O ministro disse que está preparando uma nota técnica para apresentar a Lula, mostrando a necessidade de investimentos no setor. "É claro que o saneamento é importante, mas também será um avanço se a equipe econômica conseguir incluir os gastos com infra-estrutura que são fundamentais para o País produzir mais", disse. Anderson Adauto disse que não conversou ainda com outros ministros da área, mas informou que apenas para a recuperação das estradas brasileiras seria necessário um investimento de R$ 5,5 bilhões ao ano durante um período de oito anos. Segundo Adauto, em 2003 o Ministério contou apenas com R$ 1,5 bilhão de recursos e para 2004 a proposta orçamentária prevê R$ 2,3 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.