Adição de biodiesel a óleo diesel pode ficar obrigatória em 2007

O ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, informou nesta sexta-feira, no Palácio do Planalto, que é possível antecipar para 2007 a obrigatoriedade de adição de 2% de biodiesel no óleo diesel e realizar o quinto leilão do combustível produzido a partir de oleaginosas.Em reunião coordenada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva com representantes da cadeia produtiva do biodiesel, Rondeau disse que dos quatro leilões de biodiesel realizados até agora foram arrematados 840 milhões de litros. Esse volume arrematado significa uma antecipação para este ano da meta de 2007. Com slides apresentado a Lula, Silas mostrou que sete usinas de biodiesel estão atualmente em operação, 14 estão à espera de autorização da Agência Nacional de Petróleo (ANP) para entrar em operação e outras 16 estão em construção. Segundo ele, cada usina tem capacidade de produção para 123 milhões de litros por ano. Outros 29 projetos de construção de usinas estão em estudo. Segundo o ministro, cerca de 205 mil famílias já atuam na produção de mamona, girassol e outros vegetais usados na fabricação do biodiesel.Silas Rondeau destacou que o biodiesel representa não apenas um combustível, mas também uma solução econômica. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, ressaltou a importância dos resultados dos quatro primeiros leilões do biodiesel para a agricultura familiar. "Os leilões superaram a desconfiança inicial", afirmou.H-BioO diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, disse que a estatal começará a partir de dezembro a produzir em escala industrial o H-Bio, tipo de diesel que é misturado ao óleo de soja durante seu processo de refino.A primeira unidade a ter esta produção será a Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Minas Gerais. O diretor não informou qual o volume a ser produzido nessa planta, mas segundo os planos da Petrobras, até meados de 2007, estará concluído todo o projeto para implementação do H-Bio em mais outras três plantas de refino - Replan (SP), Repar (PR) e Refap (RS) - num total de 285 milhões de litros ao ano.O volume de diesel deverá consumir cerca de 9% do óleo de soja exportado hoje pelo Brasil. De acordo com Costa, os investimentos totais neste projeto são de US$ 100 milhões, para adaptar as refinarias a este processamento.Ao longo de 2008, está prevista a segunda fase de implementação do H-Bio, com a produção sendo elevada para 425 milhões de litros, ou 15% do óleo de soja exportado."Há produção suficiente de soja no país e vamos com este programa ocupar a capacidade ociosa de esmagamento, agregando maior valor ao produto", afirmou o executivo. Segundo ele, a estatal vai firmar contratos de longo prazo com os produtores e pretende pagar pelo óleo de soja o valor estipulado pelo mercado internacional.Adição O diretor disse ainda que o processamento do H-Bio não vai impedir a adição posterior de biodiesel, por se tratarem de combustíveis complementares e não concorrentes. "O H-Bio vai representar 10% do total do diesel e não deverá constar como óleo vegetal no DNA do diesel, mas sim como óleo mineral; ao passo que o biodiesel será adicionado pela distribuidora na proporção de 2% obrigatoriamente a partir de 2008 e aparecerá no DNA como sendo óleo vegetal", explicou Costa.Este texto foi atualizado às 15h25.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.