Administrador da Parmalat sugere três saídas para a empresa

O administrador provisório da Parmalat, Keyler Carvalho Rocha, disse hoje que trabalha com três possibilidades para a empresa no Brasil: reestruturação, criação de uma nova empresa ou manter a empresa como está. Pela primeira proposta, seria feita a venda ou arrendamento de unidades menos rentáveis. Segundo ele, desse modo seria possível operar com uma empresa de menor porte e mais rentável. "Trabalharíamos como empresa menor, mas com condição de ir adiante, de crescer", afirmou. "Voltaríamos alguns passos atrás para depois irmos em frente de novo". A segunda proposta é a constituição de uma sociedade de propósito específico. Nessa hipótese, seriam descartados os riscos negociais passados e a empresa teria possibilidade de buscar novos financiamentos. A terceira hipótese seria manter a empresa como está e vender ativos para conseguir o capital de giro necessário. Carvalho Rocha disse, no entanto, que para esta terceira alternativa há dois impasses: o primeiro é que a venda de ativos depende da aprovação da Justiça e do pagamento de um preço justo por parte dos compradores. "Ocorre, porém, que interessados querem se aproveitar da situação da Parmalat e pagar um preço de banana", disse.

Agencia Estado,

02 Março 2004 | 16h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.