Advent compra fatia da Cataratas do Iguaçu S.A.

Concessionária que administra os parques nacionais do Iguaçu e da Tijuca é a terceira aquisição feita pelo fundo no País em um ano

MARINA GAZZONI, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2014 | 02h03

O fundo de investimentos Advent anunciou ontem a compra de uma participação na Cataratas do Iguaçu S.A., concessionária que administra os parques nacionais do Iguaçu, de Fernando de Noronha e da Tijuca. A visão do fundo é promover uma expansão da empresa, disputando novas concessões de parques e ampliando a sua atuação no mercado de turismo. Essa é a terceira aquisição feita pelo Advent no Brasil em menos de um ano, que também investiu na Dudalina, de moda, e na United Medical, de saúde.

Os detalhes do negócio, como valores e fatias vendidas, não foram divulgados. Segundo o Estado apurou com fontes de mercado, o fundo Advent passa a ser o acionista majoritário da empresa. Os demais acionistas - os grupos Soifer, Tucumann, Pattac, Dines, Varese, Vercelli e FSX - permanecem no negócio.

O Advent já é sócio dos grupos paranaenses Soifer, Tucumann e Pattac no Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) desde 2011, quando os grupos locais venderem participações no negócio ao Advent, mas mantiveram fatias minoritárias. "Eles nos convidaram para participar do projeto de expansão da Cataratas SA. Já somos sócios e o primeiro investimento foi um sucesso", conta o sócio-diretor do Advent na América Latina, Patrice Etlin.

O investimento na Cataratas do Iguaçu S.A. é o primeiro ligado ao turismo feito pelo Advent no Brasil, mas, no exterior, o fundo já atuou no setor. O Advent já investiu na Dufry e na Brasif Duty Free, varejistas focadas em turismo, e na operação de parques na Espanha.

Os planos do Advent para a Cataratas do Iguaçu S.A. são conquistar novas concessões e melhorar a oferta de serviços nos parques administrados, diz Etlin. "Existe um potencial de crescimento inorgânico da empresa e de agregar novos ativos ao negócio", resume.

O Brasil tem cerca de 50 parques nacionais, mas a maioria deles é administrado por órgãos públicos. A Cataratas do Iguaçu S.A. foi criada após um grupo de empresários paranaenses vencer, em 1998, a concessão do Ibama para administrar o Parque Nacional do Iguaçu, o primeiro gerenciado pela iniciativa privada. Na época, a visão era de que o governo faria uma série de licitações de parques nacionais e haveria espaço no país para uma grande concessionária desses negócios, lembrou em entrevista ao Estado em agosto do ano passado, José Maria Muller, da Tucumann Engenharia, uma das acionistas da empresa.

A esperada onda de concessões nos anos 2000 ficou no papel e até pouco tempo a Cataratas do Iguaçu S.A. administrava apenas um parque. Nos últimos anos, no entanto, as licitações começaram a acontecer e, em 2012, a Cataratas SA ganhou as concessões para administrar os parques de Fernando de Noronha e da Tijuca, junto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. A Cataratas SA também é uma das acionistas da AquaRio, empresa que promete construir e gerenciar um aquário no Porto Maravilha, região em processo de revitalização no Rio.

Compras. O Advent está em uma "temporada de compras" neste ano, aproveitando a desaceleração da economia para fechar negócios. O movimento é contrário ao que fez nos últimos anos, quando se desfez de ativos, como Cetip e Kroton Educacional. "Aproveitamos o momento de exuberância da economia para fazer boas vendas. Agora a economia brasileira deve passar por desafios, mas nossa visão de investimentos é de longo prazo", disse Etlin. "Apesar do cenário ruim, estamos investindo em setores de alto crescimento, como consumo e turismo", completou.

Em dezembro do ano passado, o Advent anunciou a compra da empresa de moda Dudalina, marca vendida em mais de 3.500 lojas no Brasil. Na sequência, o Advent comprou a United Medical, por meio da farmacêutica colombiana Biotoscana, controlada pelo fundo. / COLABOROU FERNANDO SCHELLER

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.