Advogado de Dantas critica anúncio de prisão

O advogado Nélio Machado, que defende o ex-banqueiro Daniel Dantas, criticou o anúncio da prisão do dono do grupo Opportunity, realizada hoje, em operação da Polícia Federal (PF) que investiga esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro. Na análise de Machado, a prisão teria sido arquitetada por "vingança", devido à associação do empresário a uma gestão política anterior na prefeitura de São Paulo. Juntamente com Dantas, foram anunciadas as prisões do investidor Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo Celso Pita."As investigações tiveram um foco pré-ordenado para atingir um empresário que por alguma razão poderia ter tido algum tipo de ligação com o governo anterior", disse. "É uma especulação, mas não posso deixar de tecer especulações, em um momento como esse", completou.Machado comentou que notícias sobre a possibilidade da prisão de Dantas já haviam surgido na imprensa há cerca de três meses. Isso motivou o advogado a entrar com pedidos de habeas-corpus para seu cliente, que já estariam prontos, mas que não foram julgados. "Por isso, meu cliente pode ser preso porque não houve juiz que julgasse o habeas-corpus", disse, explicando que a falta de informações sobre as acusações que cercariam seu cliente impediram o julgamento do documento.Para Machado, a prisão de Dantas "é um retrocesso" e uma medida equivalente a mecanismos judiciais encontrados "no tempo da Inquisição, da Idade Média". Ele reclamou que o anúncio da prisão ocorreu sem nenhum tipo de interrogatório preliminar de Dantas sobre o assunto em questão. Na análise do advogado, a prisão de seu cliente "não tem explicação razoável ou plausível". O advogado deve seguir ainda essa manhã para a sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro, para onde Dantas será encaminhado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.