Advogado de Edemar pedirá que decisão seja revista

O advogado Arnaldo Malheiros Filho, que tem como cliente o ex-controlador do Banco Santos Edemar Cid Ferreira, disse nesta terça-feira que entrará com agravo regimental no Supremo Tribunal Federal (STF), que negou no mesmo dia pedido liminar de habeas-corpus. Edemar está na penitenciária II de Tremembé, no interior de São Paulo.O agravo é um recurso para que seja revista a decisão do ministro relator do processo.O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou ontem por motivos técnico-jurídicos um pedido de liminar feito pelos advogados do empresário com o objetivo de conseguir a sua soltura.Joaquim Barbosa determinou o arquivamento do habeas corpus, que tinha pedido de liminar. Ele concluiu que antes de o assunto ser analisado pelo STF é necessário que sejam julgadas ações que tramitam no Tribunal Regional Federal (TRF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que são instâncias inferiores do Judiciário.No final de maio, o ex-banqueiro também fracassou em sua tentativa de sair da prisão. O ministro Hélio Quaglia Barbosa, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou um pedido de liminar em habeas corpus protocolado pelos advogados do ex-dono do Banco Santos com o objetivo de conseguir a sua libertação.No pedido, os advogados do ex-banqueiro alegavam que não havia motivos para que ele ficasse preso já que compareceu a todos os atos para os quais foi convocado desde a ação penal. Um primeiro pedido de liminar já havia sido feito ao Tribunal Regional Federal (TRF), mas também foi negado. Isso quando Edemar ainda estava na custódia da Polícia Federal (PF), na capital paulista. Edemar foi preso no dia 26 de maio pela PF. Ele teve o pedido de prisão preventiva decretado pelo juiz Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal.Copa Edemar poderá assistir à estréia do jogo do Brasil na Copa do Mundo, nesta terça-feira, às 16 horas. Basta que ele tenha uma televisão na cela, levada por parentes. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) não confirmou se o empresário possui uma. Seu advogado também não.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.