Advogados do Banco Santos solicitam encontro com interventor

Advogados do Banco Santos esperam ter uma primeira reunião de trabalho com Vânio Cesar Aguiar, interventor do Banco Central na tarde desta quarta ou na manhã de quinta-feira. O encontro foi solicitado hoje, segundo o advogado Marcelo Lopes que, junto com Ricardo Tepedino, do escritório de Sérgio Bermudes, representam o controlador do banco, Edemar Cid Ferreira. Não há previsão de que Edemar fale sobre o caso.Segundo Lopes informou à Agência Estado, Ferreira passou o dia de hoje em casa e não foi à sede do banco. Na noite de sexta-feira, quando o BC anunciou a intervenção, os advogados tiveram um rápido contato com Aguiar. "Ele se mostrou uma pessoa cordata e serena e se colocou à disposição. Nós queremos colaborar com o BC. Queremos trabalhar pacificamente", disse Marcelo Lopes.O advogado confirmou que vários funcionários do Banco Santos foram liberados nesta Terça e "não dispensados", por iniciativa do interventor. Lopes afirmou que, desde a noite de sexta-feira, quem pode responder perguntas sobre o aspecto operacional da instituição é o BC. "Quem tem obrigação de responder é Aguiar".A venda do controle do Banco Santos voltou a ser defendida como a solução natural para o caso. "O banco está preparado para ser adquirido. Tem todas as condições", afirmou. Ele insistiu que, ao fazer a intervenção, o BC indica a viabilidade da instituição. "A intervenção é um remédio amargo, mas é diferente de uma liquidação. Se o BC entendesse que o banco é inviável, teria optado pela liquidação", ponderou Lopes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.