AE divulga ranking de melhores empresas

A Souza Cruz e a Vale do Rio Doce seguem na liderança do Ranking Agência Estado/Economática. As duas empresas apresentaram o melhor desempenho e retorno aos seus acionistas no primeiro trimestre de 2002, entre 146 analisadas. Com o resultado, as companhias repetem a dobradinha do levantamento do ano passado.A cada trimestre, o ranking preparado em parceria com a Economática aponta as dez melhores companhias abertas do mercado, com base numa metodologia exclusiva que mede critérios de rentabilidade e desempenho.A intenção é estimular o relacionamento entre empresas e investidores, já que o bom tratamento ao acionista é refletido no desempenho das ações.As outras vencedoras do primeiro trimestre são Bradesco, AmBev, Ultrapar, Itaú, Caemi, Lojas Americanas, Petrobrás e Fosfértil.A carteira de ações formada por essas dez empresas manteve, no primeiro semestre, desempenho superior ao do mercado. Segundo o presidente da Economática, Fernando Exel, os papéis subiram 15,7% nos primeiros seis meses do ano, ante uma perda de 21,7% do Índice Bovespa. "Isso mostra que as ações estão menos vulneráveis ao pessimismo", afirmou Exel.Ele lembrou que o setor de telecomunicações não tem nenhum representante entre as vencedoras - e é exatamente ele que tem afetado a Bovespa.A Souza Cruz é conhecida no mercado como uma tradicional boa pagadora de dividendos, um dos quesitos avaliados pelo ranking. Os acionistas da empresa tiveram um retorno de 45,8% com a distribuição de proventos, em relação ao valor patrimonial de seus papéis. Ultrapar (29,8%) e Vale (14,8%) também são destaque por esse critério.A liquidez das ações, analisada pelo ranking, é fator decisivo no momento da aplicação. Petrobrás e Bradesco levam vantagem entre as vencedoras, pois são as mais negociadas.O levantamento mostrou ainda que as companhias estão valorizadas pelo mercado. As dez primeiras valem em Bolsa pelo menos 1,3 vez o seu patrimônio líquido. A AmBev tem o melhor indicador, pois é negociada a 5,4 vezes o seu valor patrimonial.A avaliação do ranking foi baseada em sete critérios, todos relacionados aos interesses dos investidores: preço/lucro, preço/valor patrimonial da ação, oscilação, liquidez, volatilidade, dividendo/valor patrimonial da ação e retorno sobre o patrimônio lí quido. Esses critérios podem ser aplicados a todas as empresas, independentemente do seu tamanho ou setor.O Ranking Agência Estado/Economática começou a ser divulgado em 2000 e mais informações podem ser encontradas no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.