AEB: exportar será cada vez mais antieconômico

O grau de investimento concedido hoje pela Fitch Ratings deve acirrar a retração das exportações brasileiras de manufaturados, avalia o vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro. "O dólar já caiu", afirmou, instantes após a divulgação da nova classificação de risco brasileira. "A exportação está se tornando cada vez mais antieconômica. Isso é ruim porque estamos desagregando valor das nossas exportações, principalmente de manufaturados", completou.O economista ressalta que as vendas externas continuam crescendo pela valorização dos produtos básicos (commodities), o que acaba compensando a defasagem cambial. Segundo ele, o impacto das elevações do Brasil à condição de grau de investimento pelas agências Fitch Ratings e Standard & Poor''s (que elevou a nota do Brasil em 30 de abril) só será sentido a partir de 2009, já que os embarques programados para este ano ocorrerão independentemente da taxa de câmbio."Em 2008 não teremos mudanças nos planos dos exportadores. O problema é que os empresários já estão começando a repensar suas exportações para o ano que vem", afirmou. Castro ressalta ainda o desinteresse cada vez maior no investimento em plantas industriais voltadas à exportação. "A taxa de câmbio está afastando o investimento industrial produtivo", explica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.