Aécio diz que será "opositor" à venda das elétricas

O líder do PSDB e candidato do partido à Presidência da Câmara, Aécio Neves, garantiu há pouco, em reunião com a bancada de deputados do PT, que fará todos os esforços para impedir o avanço da privatização do setor elétrico. "Eu serei um grave obstáculo a que se avance nessa discussão. No que depender de minha ação parlamentar serei um vigoroso opositor, seja da cisão de Furnas ou da venda de outras empresas do setor elétrico, como a Chesf e a Eletronorte", disse, responsabilizando a gestão do PFL, frente ao Ministério de Minas e Energia, pelos erros na privatização do setor elétrico. "Esse governo cometeu um enorme equívoco na gestão do setor energia. Um modelo adotado pelo partido que comanda o Ministério vai levar a um enorme colapso no setor e correremos o risco de não termos a energia necessária para sustentarmos o crescimento econômico", disse Aécio, considerando que a venda dos ativos do setor elétrico, sem a obrigação de novos investimentos estratégicos para o País, foi o grande erro cometido no processo de privatização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.