Aéreas confirmam adiamento na entrega do A380

As companhias aéreas Lufthansa e a Emirates divulgaram nesta terça-feira que seus pedidos pelos aviões superjumbo A380 terão atraso na entrega de mais de um ano, enquanto esperava-se que a controladora da Airbus, EADS, revelasse a verdadeira extensão dos problemas de produção que estão atrasando o programa. "Nós recebemos informações da Airbus de que vamos receber o primeiro A380 no verão (hemisfério norte) de 2009", disse a porta-voz da Lufthansa, Stefanie Stotz. "Isso é um ano depois do que o que havia sido antecipado até agora".A EADS não confirmou nem negou o fato de que sua diretoria tenha uma reunião marcada para discutir um plano de reestruturação para a Airbus ou um novo cronograma de entrega para o seu problemático A380, que já estava cerca de um ano atrasado quando os novos problemas na produção apareceram. A Emirates também divulgou nesta terça que recebeu um aviso de que os seus A380s demorarão mais 10 meses para ser entregues."A Emirates foi avisada pela Airbus de mais um atraso, de 10 meses, no seu programa A380, o que significa que nossa primeira aeronave chegará agora em agosto de 2008", disse Tim Clark, CEO da Emirates. O novo adiamento "é uma questão muito séria para a Emirates", afirmou Clark, acrescentando que a companhia está agora revisando todas as suas opções.A primeira entrega à Emirates - originalmente agendada para este mês - terá agora um atraso de quase dois anos. Stotz disse que a Lufthansa espera agora a entrega entre maio e setembro de 2009, um adiamento similar quando comparado com o prazo original, que era "no fim de 2007". Mas a Lufthansa aparenta não considerar cancelamentos nos pedidos. "Ainda estamos convencidos de que o A380 é uma história de sucesso e que é uma aeronave desenvolvida", disse Stotz. "Como queremos crescer, ainda acreditamos que esta é a aeronave que precisamos, especialmente quando as habilidades e os direitos de tráfego são limitados."Nos últimos dias, a Airbus vem informando os clientes de seu A380 dos últimos problemas enquanto tenta estimar o provável custo de compensação. A EADS confirmou no mês passado que o avião sofreria um atraso pela terceira vez, sem dar maiores detalhes. O anúncio já fez com que a Emirates avisasse, no dia 21 de setembro que seu pedido de 45 aeronaves, estimado em aproximadamente US$13 bilhões, estava "no ar". A Virgin AtlanticAirways também afirmou que o atraso poderia afetar seu pedido de seis superjumbos. A companhia aérea confirmou que recebeu informações sobre o atraso na entrega das aeronaves, mas não deu mais detalhes. O diário financeiro francês La Tribune publicou uma reportagem dizendo que a EADS pretende anunciar mudanças drásticas na produção, que incluiriam o fechamento de centros de produção do A380 em Hamburgo, na Alemanha, e a sua transferência para a sede da empresa, em Toulouse, na França, reduzindo custos e tempo de transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.