Aéreas dos EUA tomam medidas contra alta do petróleo

Duas grandes empresas aéreas norte-americanas anunciaram hoje novas medidas para tentar contrabalançar a alta dos preços do petróleo. A UAL, controladora da United Airlines, vai começar a cobrar US$ 15 em cada trecho pela primeira bagagem despachada em seus vôos. A Continental vai reduzir operações nos Estados Unidos.A United se torna a segunda companhia a cobrar uma taxa pela primeira bagagem checada, depois da American Airlines. O movimento das duas maiores empresas aéreas dos EUA provavelmente indica que as pequenas vão fazer o mesmo.Além da cobrança pela primeira bagagem, as taxas sobre transporte de bagagens acima do peso, terceiras malas despachadas ou itens que requerem cuidados especiais vão subir de US$ 100 para US$ 125 ou de US$ 200 para US$ 250, dependendo do caso. A taxa pela segunda bagagem, de US$ 25, já está sendo cobrada.A Continental Airlines, por sua vez, anunciou que vai reduzir as operações em Houston, Newark e Cleveland. A empresa vai encerrar os serviços entre Houston e 12 cidades, diminuindo sua capacidade no local em 7,9%. As operações em Newark serão cortadas em 3,2%, com a descontinuação de vôos para sete cidades. Em Cleveland a redução será de 13%, com o encerramento de vôos para 24 cidades.A companhia também afirmou que vai fechar centros de operação em nove cidades norte-americanas e seis estrangeiras. Na semana passada, a Continental havia anunciado que vai cortar cerca de 3 mil empregos e reduzir os vôos domésticos em 11%, a partir de setembro. As informações são da Dow Jones.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

12 de junho de 2008 | 15h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.