Aeronautas da Vasp farão manifestação em Congonhas

Os aeronautas (pilotos e comissários) da Vasp, que estão em greve, farão no dia 3 de fevereiro (quinta-feira) assembléias no Rio e em São Paulo para discutir os rumos do movimento. No mesmo dia, por volta das 17h, os funcionários da Vasp farão uma manifestação no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. O diretor-executivo do Sindicato dos Aeronautas, Aguinaldo Souza, afirmou que a empresa continua a manter os salários atrasados. Segundo ele, a empresa tem cerca de 800 aeronautas com risco de perder o emprego.A companhia aérea, que vive a maior crise da sua história, teve a licença para operar cassada nas últimas oito rotas regulares de passageiros. Souza é cético em relação às negociações de venda da companhia aérea. Segundo rumores, o presidente da empresa, Wagner Canhedo, está negociando com investidores árabes. "Quem são esses árabes? Ninguém sabe", questiona Souza.Na manifestação em Congonhas, um das intenções dos funcionários é sensibilizar o governo paulista, que é acionista minoritário da empresa, a intervir no caso. Mas o governador Geraldo Alckmin já avisou anteriormente que o Estado não intervirá na Vasp. Segundo ele, São Paulo é credor da Vasp porque, quando a companhia foi privatizada, os proprietários não pagaram várias dívidas, que tiveram de ser honradas pelo governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.