Aeronáutica coloca aviões à disposição de passageiros da Varig

O Comando da Aeronáutica determinou que dois aviões Boeings 707, os chamados sucatões, fiquem à disposição para serem usados no transporte de passageiros de outros países para o Brasil, por causa da crise da Varig. As aeronaves, baseados no Rio de Janeiro, não serão destacados para nenhuma missão da Força Aérea, para que possam ser enviados para onde houver necessidade. Cada Boeing carrega 160 passageiros. A medida foi tomada no mesmo dia em que a Varig cancelou os três vôos semanais de Munique, na Alemanha, para São Paulo, por causa da "fase de transição" pela qual passa a empresa, segundo informações de funcionários da companhia. Mas todos os passageiros de Munique foram realocados para vôos saindo de Frankfurt, garantiu o funcionário. Na próxima quinta-feira, a companhia tem dois vôos de Frankfurt para o Brasil - um com destino ao Rio de Janeiro e outro a São Paulo) - lotados de passageiros que voltam para casa após assistir à primeira fase da Copa do Mundo. A companhia informou que estes dois vôos estão confirmados. Preparo Os brasileiros que foram assistir à Copa já se preparam para possíveis cancelamentos de vôos da Varig para o Brasil. O casal carioca Livia Motta e Rodrigo Castro tem passagem para um vôo fretado da Varig de Colônia para o Rio de Janeiro nesta sexta-feira, "mas já pedi para meu pai comprar duas passagens de outra companhia aérea saindo para o Brasil no sábado", disse Lívia. Ela achou melhor se garantir porque precisa estar no trabalho na segunda-feira. "Tento embarcar de Varig na sexta e, se não conseguir, já tenho outras passagens". Se o vôo da Varig sair normalmente eles pedirão reembolso da passagem extra que compraram.Entre os torcedores brasileiros já circulam muitas brincadeiras sobre a Varig. "Vamos todos passar mais um mês na Europa graças à Varig", dizem alguns. "O que vai ter de brasileira casando com alemão, porque cancelaram o vôo da Varig para casa", dizem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.