Aeroporto do Galeão terá de melhorar sua eficiência em 30,78%

Anac divulgou no Diário Oficial metas individuais de eficiência para os principais aeroportos brasileiros

Silvana Mautone, da Agência Estado,

31 de janeiro de 2011 | 13h43

Considerando os maiores aeroportos do Brasil, o do Galeão, no Rio de Janeiro, é o que terá o maior desafio em termos de melhoria de eficiência nos próximos 12 meses. De acordo com portaria publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o Galeão terá de melhorar sua eficiência em 30,78%.

A Anac divulgou metas individuais de eficiência para cada aeroporto com base em um indicador internacional chamado WLU (work load units). Esse indicador divide o número de embarques e desembarques e o volume de cargas pelos custos (operacional, administrativo e financeiro).

Essas metas serão levadas em consideração daqui a um ano, quando a Anac irá reavaliar os reajustes para as tarifas aeroportuárias. Só poderão reajustar as tarifas em 100% do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) os aeroportos que cumprirem as metas de eficiência estabelecidas. Caso contrário, o índice será deflacionado.

O Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, terá de melhorar seu WLU em 15,81%. Já o Aeroporto Internacional de Confins, em Belo Horizonte, tem como meta uma melhora de 12,64% e o Aeroporto de Congonhas, na cidade de São Paulo, terá de buscar uma melhora de 9,75% na sua eficiência. O Aeroporto Internacional de Brasília tem como meta uma melhora de 7,41%, enquanto a meta do Aeroporto Internacional de Campinas, no interior de São Paulo, é de 4,90%, e a do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, de 2,75%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.