Aeroportos atraem mais que as rodovias, diz Gleisi

O governo brasileiro está otimista com o leilão dos aeroportos de Galeão (RJ) e Confins (MG),

Reuters, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2013 | 02h08

BRASÍLIA - O governo brasileiro está otimista com o leilão dos aeroportos de Galeão (RJ) e Confins (MG), marcado para sexta-feira, e avalia que as concessões dos terminais são ainda mais atrativas do que as de rodovias, disse a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

O governo marcou os próximos leilões de rodovias federais para depois da disputa pelos aeroportos, segundo a ministra, justamente porque muitos dos grupos que atuam nas concessões de estradas também vão participar da concorrência pelos aeroportos em sociedade com operadores estrangeiros.

"Eles (investidores) avaliam como muito atrativas as concessões dos aeroportos. Nós teremos dois vencedores nos aeroportos, mas existem muito mais players do que isso", disse. "Esses dois ganhadores vão avaliar se têm condições de participar dos próximos leilões (de rodovias), mas quem perdeu com certeza vai continuar (na disputa pelas estradas)."

As concessões logísticas são a principal aposta do governo para estimular investimentos e solucionar problemas de transportes, um dos maiores gargalos para o crescimento da economia. Em entrevista à agência de notícias Reuters, Gleisi admitiu que o Aeroporto do Galeão dever despertar mais interesse, mas disse que também haverá disputa por Confins. "Ambos os aeroportos terão competidores, são estratégicos e importantes para o País, e tenho certeza de que darão um bom retorno para quem os administrar."

Segundo Gleisi, grandes operadores internacionais de aeroportos manifestaram interesse no leilão e deverão se associar a empresas brasileiras.

Rodovias. Depois de leiloar os aeroportos, o governo tem agendado para 27 de novembro a licitação da BR-163 em Mato Grosso. Em 4 de dezembro, será a vez do lote com trechos das BRs 060/153/262 entre Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais.

O governo espera leiloar a BR-163 em Mato Grosso do Sul em 17 de dezembro. E em 27 de dezembro, a BR-040 (MG-DF), que depende da aprovação do edital pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Judicialização. O Ministério Público Federal do Rio ajuizou uma ação civil pública com pedido de liminar para suspensão do leilão do Galeão, segundo nota publicada ontem no site do órgão. O MPF pede que o leilão seja suspenso até que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) especifique no edital todas intervenções necessárias à garantia da segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.