Aeroviários pedem solução para fundo de pensão

Aeronautas e aeroviários aposentados e pensionistas, ex-funcionários da Varig, Vasp e Transbrasil, fizeram hoje uma manifestação no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, para reivindicar uma solução definitiva para o fundo de pensão complementar da categoria. Os manifestantes pediram também agilidade do Supremo Tribunal Federal (STF) na decisão do processo sobre a defasagem tarifária que prevê o pagamento de R$ 7 bilhões para as empresas aéreas.De acordo com a presidente da Associação Nacional dos Aeronautas e Aeroviários do Brasil (AAAB), Maria Aparecida Tavares Leite, o problema começou com a intervenção que durou 13 anos (1991 a 2005) no fundo de pensão da Vasp, o Aeros. Segundo ela, no período de 1995 a 2000 houve um desvio de R$ 780 milhões por parte dos interventores. Em 2000, outro interventor assumiu e foi obrigado a liquidar o fundo, por conta do prejuízo anterior. Na avaliação dos ex-funcionários, o governo deveria assumir o prejuízo causado, já que nomeou os interventores.No caso da Aerus, fundo de pensão da Varig e Transbrasil, Maria Aparecida disse que a Varig tomou dinheiro do fundo várias vezes, negociou a devolução, mas não cumpriu. "O resultado hoje é um desvio de R$ 3 bilhões e prejuízo para 8,5 famílias", disse.Segundo o presidente da Associação Nacional dos Aeronautas e Aeroviários Aposentados e Pensionistas (Anaap), Lourival Honorato Vieira, a esperança dos ex-funcionários é que o STF determine o pagamento da defasagem tarifária, em processo que tramita desde 1992. "Se esse processo for vencido, garantirá R$ 4 bilhões para a Varig, montante que será destinado ao pagamento dos aposentados", disse Vieira. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.