Aeroviários suspendem greve, mas podem retomá-la na próxima semana

Nova assembleia será realizada na terça-feira para definir os rumos da paralisação; greve atingiu os aeroportos do Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e Fortaleza

Silvana Mautone, da Agência Estado,

23 de dezembro de 2011 | 15h51

Os aeroviários (funcionários dos aeroportos que trabalham em terra) suspenderam na manhã de hoje a greve que haviam iniciado ontem em alguns Estados, mas não descartam retomá-la na próxima semana. Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), o secretário-geral da entidade, Marcelo Schmidt, participará na próxima segunda-feira de uma audiência no Ministério do Trabalho, em Brasília.

Às 16 horas, 9,7% dos voos domésticos em todo o País estavam atrasados e 2,5% haviam sido cancelados, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Uma nova assembleia será realizada na terça-feira para definir os rumos da paralisação. Os aeroviários recusaram a proposta do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), que representa as companhias aéreas, de reajuste salarial de 6,5%. Eles reivindicam aumento de 10%.

Por isso, no final da tarde de ontem aeroviários de alguns Estados deram início a uma greve nos aeroportos. Ela atingiu os aeroportos do Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e Fortaleza. A paralisação no Rio de Janeiro foi suspensa hoje ao meio-dia. Nos demais aeroportos, acabou mais cedo, por volta das 6h.

A proposta de 6,5% de reajuste foi aceita por alguns sindicatos da categoria, como o que representa os aeroviários em São Paulo. Os aeronautas (que trabalham nos voos, como pilotos e comissários de bordo) também aceitaram ontem o reajuste oferecido.

Belo Horizonte

Apesar da expectativa de transtornos nos aeroportos por causa da ameaça de paralisação dos aeroviários, a situação nos dois terminais da região metropolitana de Belo Horizonte era considerada normal pela Infraero nesta tarde. Na capital mineira, funcionários da Gol e da TAM fizeram apenas uma paralisação de uma hora e meia na quinta-feira e o sindicato dos aeroviários garante que os trabalhadores vão manter as atividades pelo menos até a virada do ano.

Até as 15h desta sexta, o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana da capital, registrava atrasos em sete dos 81 voos domésticos previstos, o que representa 8,6% do total. Não houve registro de cancelamentos. Segundo a Infraero, os seis voos internacionais programados para o período operaram no horário.

Já no Aeroporto da Pampulha, dos 18 voos previstos até o meio da tarde, quatro (22,2%) registravam atrasos e houve um cancelamento. De acordo com a Infraero, os atrasos nos dois terminais eram considerados normais, com uma média de 15 minutos além dos horários programados. 

Fortaleza

O movimento no aeroporto internacional Pinto Martins, em Fortaleza, nesta véspera de Natal registrou de zero às 16 horas atraso de mais de meia hora em oito dos 59 voos domésticos programados. Somente um voo foi cancelado.

Há intensa movimentação de passageiros, mas a Infraero considera a situação normal, uma vez que já era esperado este tráfego para o dia de hoje. A previsão é que amanhã o movimento aumente ainda mais até o meio-dia, devido ao Natal.

O índice de atraso de voos hoje no Pinto Martins é de 13.6% e o de cancelamento apenas de 1,7%. As filas maiores são para os voos das companhias TAM e Gol com destino a São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

(Com Marcelo Portela e Lauriberto Braga, de O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.