Afif critica apoio a grandes empresas

O ministro da Secretaria de Micro e Pequena disse que o setor das micro e pequenas empresas vem mantendo emprego e lamentou que ele tenha sido 'esquecido'

Daiene Cardoso e Daniel Carvalho, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2015 | 02h05

BRASÍLIA - O ministro da Secretaria de Micro e Pequena, Guilherme Afif Domingos, criticou hoje a liberação de R$ 8,1 bilhões de bancos públicos para o setor automotivo. Afif disse que o setor das micro e pequenas empresas vem mantendo emprego e lamentou que ele tenha sido "esquecido". "Momento de crise é para se apoiar o pequeno empresário. Hoje vimos, por exemplo, a liberação de grandes recursos para grandes empresas, e a micro e pequena empresa acaba sendo esquecida na hora de fazer a distribuição de recursos. É ela quem está dando emprego e renda", disse, ao sair de reunião com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Afif destacou que o setor que representa mantém uma geração de emprego positiva, enquanto as médias e grandes empresas desempregaram quase 500 mil trabalhadores no primeiro semestre. Para ele, é preciso "olhar a massa de pequenos", que estão dando emprego. Ele disse considerar "óbvio" que o caminho para sair da crise econômica é investir nas micro e pequenas.

"Hoje o que a gente vê é a liberação de recursos não para a produção, mas para o consumo. Gente, precisa ficar claro: quem precisa de recursos é a produção, porque é ela quem vai diminuir a inflação. Aumentar o consumo neste instante não é o caminho", opinou.

O ministro acompanhou um grupo da Frente Parlamentar da Pequena e Micro Empresa para pedir a Cunha agilidade na aprovação do projeto "Crescer sem Medo". A proposta modifica as tabelas do Simples para que empresas possam crescer sem temer sair do Simples de forma abrupta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.