finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

After market: novo horário não afeta negócios

A redução do horário de funcionamento do after market teve pouco impacto no volume de negócios. A diminuição começou no dia 25, como uma medida da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para economizar energia.After market é o nome do período de negociação apenas pelo sistema eletrônico, após o pregão tradicional da Bovespa. Com a mudança, essa fase passou a durar uma hora e 15 minutos - abre às 17h45 e fecha às 19 horas. Até 24 de maio, durava quatro horas, com início às 18 horas e término às 22 horas.Apesar da forte queda, o movimento financeiro teve recuo pouco significativo. A média diária de negócios nos dez primeiros dias de maio, quando o período era completo, foi de R$ 1,049 milhão. Nos dez primeiros dias de junho, caiu 3,3%, ficando em R$ 1,014 milhão.Em outra comparação, a redução foi maior, mas ainda assim menos significativa que a do horário de funcionamento. A média financeira em todo o mês de maio, até o dia 25, era de R$ 1,073 milhão por dia. Esse valor passou a R$ 912,9 mil a partir de 25 de maio, até 10 de junho, com recuo de 14,9%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.