Aftosa: 211 animais do PR passarão por novos exames

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, afirmou que o governo federal fará novos exames nos 211 animais do Paraná que tiveram trânsito em áreas com febre aftosa ou contato com bovinos do Mato Grosso do Sul. "Serão examinados o líquido do esôfago e da faringe desses animais, porque normas internacionais admitem que é possível a permanência do vírus da aftosa nessas regiões do corpo por algum tempo sem que a doença se manifeste", afirmou Rodrigues. "A partir dos resultados negativos desses exames poderemos informar ao Brasil e ao mundo que não há focos da doença no Paraná", acrescentou. A decisão de realizar os exames foi tomada neste sábado, em uma reunião entre Rodrigues e sua equipe com o governador em exercício e secretário de Agricultura do Paraná, Orlando Pessuti. A reunião aconteceu na fazenda do ministro, em Guariba (SP), e dela também participaram produtores, pecuaristas e representantes de frigoríficos paranaenses. Rodrigues informou que até todos os novos exames estarem concluídos - em prazo ainda indefinido - o governo federal manterá as medidas de interdição de fazendas e de proibição do comércio a partir das 36 cidades paranaenses. "As decisões serão mantidas como se houvesse o foco no Paraná e são para manter a credibilidade do País." O ministro disse, no entanto, que técnicos do governo federal e do Estado do Paraná estão analisando os exames já realizados nos animais e é provável que, na próxima semana, seja reduzido de 25 quilômetros para 10 quilômetros o raio de interdição no entorno das propriedades com animais suspeitos. "Após essas análises, poderemos flexibilizar a proibição do comércio entre o Paraná e outros Estados. Estou disposto a convocar os secretários da Agricultura desses Estados para pedir que suspendam possíveis barreiras sanitárias", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.