Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Agência de Desenvolvimento Industrial realiza primeira reunião

Foi realizada nesta quarta-feira a primeira reunião da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que será responsável pela implementação da política industrial, tecnológica e de comércio exterior do governo. A política já existe mas não havia um grupo de funcionários públicos dedicados em tempo integral ao assunto. Essa é uma das razões do ritmo lento com que o governo vem avançando nas ações nessa área.O economista Alessandro Teixeira foi escolhido para presidir a ABDI. Ele era o principal assessor do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, para o tema e coordenou um grupo executivo que tocou a política industrial até agora. Para a diretoria, foram nomeados o economista Mario Salerno, especialista em indústria, e o físico Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho, que ficará responsável pela área de inovação. O coordenador-geral da ABDI é Edmundo Machado de Oliveira, assessor especial do ministro da Fazenda, Antonio Palocci."A Agência veio para facilitar o trabalho", disse o ministro de Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, que é o presidente do Conselho Deliberativo da ABDI. Ele lembrou que, pela primeira vez, a política industrial e tecnológica dispõe de instrumentos como a Lei de Inovação, os recursos dos fundos setoriais, uma agência e um Conselho Nacional.Alessandro Teixeira explicou que a ABDI só estará funcionando em março. Faltam trâmites burocráticos para formalizar sua criação. Cerca de 50 pessoas trabalharão na Agência, que contará com um orçamento da ordem de R$ 14 milhões. As ações da política industrial, porém, contarão com recursos dos ministérios envolvidos.Edmundo Oliveira disse que o governo trabalha para criar instrumentos que ajudem a atrair capital de risco para projetos de desenvolvimento industrial e tecnológico. Em países da Europa e nos Estados Unidos, por exemplo, o venture capital é um instrumento importante de financiamento.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2005 | 20h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.