Agência Fitch ameaça rebaixar nota de países europeus

Diminuição do rating pode ocorrer até o fim do ano se não houver avanço na busca por uma solução para a crise

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

21 de agosto de 2012 | 11h09

NOVA YORK - A Fitch Ratings afirmou que os países mais fracos da zona do euro enfrentarão provavelmente rebaixamentos de rating até o fim do ano, se não houver nenhum progresso para encontrar uma solução para a crise.

O diretor-administrativo do Grupo de Ratings Soberanos da Fitch, David Riley, disse que as expectativas eram muito altas de que os formuladores de políticas públicas encontrarão uma solução para a crise da dívida enfrentada pela região, mas ainda há a chance de decepção.

Em entrevista à TV Bloomberg, Riley disse que os riscos enfrentados pela Itália neste ponto são políticos, ao invés de econômicos, e não há necessidade de mais medidas de austeridade no país.

Como a crise vai evoluir na Itália também depende da Espanha, que os investidores gostariam de ver receber algum tipo de ajuda oficial, disse Riley.

"Draghi (presidente do Banco Central Europeu) deixou claro que o BCE precisa receber um pedido de ajuda do governo espanhol. Eles têm que estar dispostos a entrar em algum tipo de programa", acrescentou.

Em entrevista separada à CNBC, Riley disse que o rating triplo A do Reino Unido, que não faz parte da zona do euro, pode estar em risco, se o governo se desviar de seu plano para cortar o déficit orçamentário.

Segundo ele, o custo baixo dos empréstimos do Reino Unido, como os dos EUA, não pode tomar o lugar da disciplina fiscal, afirmou Riley. Ele afirmou também que "não é o fim do mundo" se o país perder seu rating AAA. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.