Agência pede manutenção dos investimentos no pré-sal

AIE prevê que Brasil deve trazer muito petróleo ao mercado a partir de 2015, mas alerta para efeitos da crise

Cynthia Decloedt e Daniela Milanese, da Agência Estado,

12 de novembro de 2008 | 10h27

O Brasil deve trazer muito petróleo ao mercado a partir de 2015, em razão da exploração da área do pré-sal, afirmou nesta quarta-feira, 12, o economista-chefe da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol. "Mas não esperamos um aumento relevante de produção no País antes disso", disse à Agência Estado, logo após entrevista coletiva em Londres. A agência, que assessora a maior parte dos países consumidores de energia, apresentou nesta quarta o "World Energy Outlook", com as previsões para o mercado de energia até 2030.  Veja também:O caminho até o pré-salMapa da exploração de petróleo e gásDescoberta nova jazida de óleo leve na Bacia de SantosDe olho nos sintomas da crise econômica  Como o mundo reage à crise  Lições de 29Dicionário da crise  Birol também mandou um recado para os envolvidos nos projetos da área do pré-sal no Brasil: "É importante que os investimentos sejam mantidos", afirmou. Essa é uma das maiores preocupações da AIE diante do cenário de crise financeira, já que a dificuldade de obtenção de financiamento está provocando o adiamento de projetos. Conforme a entidade, são necessários investimentos de US$ 26 trilhões no setor até 2030.  Segundo a agência, os adiamentos anunciados por várias companhias no mundo nas últimas semanas aumentam a perspectiva de problemas de oferta de petróleo até 2010. "Vemos e ouvimos sobre adiamentos de investimentos em energia. Esta é uma grande preocupação e poderá levar a estreitamento da oferta e aumento nos preços superiores aos já vistos", disse o economista-chefe da AIE, Fatih Birol.  A entidade prevê a demanda por petróleo mundial recuperando-se a partir de 2010 da atual turbulência financeira. Segundo ele, a necessidade mundial de investimentos em projetos de exploração de gás natural e petróleo o mundo precisa de cerca de US$ 450 bilhões ao ano de investimentos em projetos de gás natural e petróleo entre 2008 e 2015 para atender a demanda, mas os investimentos estão ficando abaixo disso. O ano passado foi "excepcional" em termos de investimento em petróleo e gás, disse Birol, acrescentado que a indústria investiu um total de US$ 390 bilhões em 2007. As informações são da Dow Jones.  Novos poços A Petrobras encontrou indícios de petróleo em dois poços em novembro, segundo informações da página da Agência Nacional de Petróleo (ANP) na Internet. O primeiro indício fica no bloco MLS, na Bacia de Campos, no mar. O segundo fica na bacia de Santos (S-M-322), também no mar. As notificações fazem parte dos registros de praxe das empresas nesses casos e foram arquivadas no site da ANP com datas de 11 e 5 de novembro, respectivamente, e se tratam de indícios de petróleo e não de declarações de comercialidade. Ainda em novembro, há registro de indícios no bloco ES-T-391, no Espírito Santo, da empresa Vipetro Petróleo. Também a Petrogal encontrou indícios em Sergipe, no bloco SEAL-T-412. Ambos são em terra. (com Aline Cury Zampieri, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
AIEpetróleoBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.