Agências de risco rebaixam nota das montadoras GM e Ford

Nova nota da S&P coloca GM a um grau da concordata, mesmo após anúncio de ajuda dos EUA e do Canadá

22 de dezembro de 2008 | 23h18

As agências de classificação de risco Standard & Poor's (S&P)e Moody rebaixaram nesta segunda-feira, 22, a nota das montadoras americanas General Motors (GM) e Ford. As informações são da agência France Presse. Veja também: Governo dos EUA dá ajuda de US$ 17,4 bi às montadoras Canadá segue EUA e anuncia pacote de auxílio a GM, Ford e Chrysler De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  A S&P rebaixou a nota da GM para C, um grau acima de empresas que entram em concordata. A redução da nota da GM foi adequada à dívida sem garantia do grupo, cujos credores não serão considerados prioritários em caso de falência sobre os governos de Estados Unidos e Canadá. A S&P estima que em caso de falência, os credores sem garantia não receberão mais que uma pequena parte, entre 1 e 10%.FordA agência de classificação de risco Moody's Investors Service reduziu nesta segunda-feira a nota da montadora americana Ford em dois degraus, para "Caa3". A nota da Ford caiu de "Caa1" a "Caa3" e é acompanhada por uma perspectiva negativa, o que significa que a Moody's não exclui outra redução no futuro, destaca a agência.Segundo a Moody's, "a degradação reflete o risco crescente de que a Ford tenha que adotar medidas de reestruturação para obter as mesmas concessões que GM e Chrysler", que na sexta-feira passada aceitaram condições muito severas impostas por Washington para receber ajuda financeira urgente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.