Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

AGENDA GLOBAL-Decisão do Fed sobre juro é destaque da semana

A decisão do Federal Reserve sobre ojuro norte-americano é o destaque da semana, em um cenário deproblemas no mercado global de crédito e de temores dedesaquecimento da economia dos Estados Unidos. A expectativa é de que o Fed corte a taxa básica,atualmente em 5,25 por cento, mas o mercado ainda está divididosobre o tamanho da redução. Um surpreendente recuo do mercado de trabalhonorte-americano no mês passado, o primeiro desde 2003, e dadosmais fracos que o esperado sobre vendas no varejo levaramalguns investidores a prever um corte de 0,50 ponto do juro. "O Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed) vaiofuscar tudo. O que o Fed afirmar, o que o Fed fizer éabsolutamente crucial", disse Trevor Williams, chefe do grupode pesquisa econômica do Lloyd TSB Financial Markets. O foco sobre a decisão do Fed aumentou ainda mais depoisque o Banco da Inglaterra precisou socorrer o concessor deempréstimos Northern Rock, fornecendo uma quantia não reveladade recursos. Em seu comunicado, o Fed deve falar sobre a incertezamundial em relação ao crédito que começou com a inadimplênciano setor de hipotecas de alto risco dos EUA. No mercado futuro, a chance implícita de um corte de 0,50ponto na terça-feira era de 64 por cento na sexta-feira, ante58 por cento no final da quinta-feira. Parte dos analistas ainda espera uma ação mais gradual doFed. "Embora um corte de 0,50 ponto e uma sinalização de quepode fazer mais ajudariam a atingir uma estabilidade econômica,o 'moral hazard' e outros argumentos podem convencer o Fed queé melhor um corte de 0,25 ponto", avaliou o BNP Paribas emrelatório. EUROPA Os EUA também vão divulgar os índices de preços no varejo eno atacado referentes a agosto, além de dados sobre o setorimobiliário. Investidores ficarão atentos, ainda, à ata da reunião doBanco da Inglaterra de 6 de setembro. O BC manteve o jurobásico em 5,75 por cento, nível máximo em seis anos, masdivulgou um comunicado em que reconheceu as turbulências nomercado e seu impacto potencial. Na zona do euro, o foco estará no indicador de confiançaeconômica ZEW, da Alemanha, e em dados sobre o setormanufatureiro da região. A previsão é de que ambos recuem.

GERTRUDE CHAVEZ-DREYFUSS, REUTERS

17 de setembro de 2007 | 07h38

Tudo o que sabemos sobre:
MACROAGENDAGLOBAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.