finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Agnelli responde às críticas da governadora do Pará

O presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, disse ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que a empresa planeja criar 6 mil novos empregos no Brasil em 2008. Essa foi a resposta mais contundente de Agnelli às críticas de que a empresa não investe no Brasil, feitas pela governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), que acabaram encampadas por setores do governo petista. Durante o encontro, Agnelli ponderou que essas contratações passam por novos investimentos que ainda dependem de licença ambiental de órgãos do governo. "Presidente, precisamos apressar os processos de licença ambiental", pediu Agnelli. Ele ressaltou ainda que a empresa tem 141 mil trabalhadores e que 80% deles são empregados no Brasil.O pedido para uma audiência com Lula foi feito pelo próprio Agnelli, segundo contou ao ?Estado? uma fonte da empresa. Ao ser informado, na semana passada, do inconformismo de Ana Júlia com o nível de investimentos da Vale no Brasil, Agnelli ligou para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para conversar. Em seguida, ligou para Lula e pediu o encontro com o presidente.

EXPEDITO FILHO, O Estadao de S.Paulo

15 de novembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.